quinta-feira, maio 29, 2008

Umbanda - PRETO VELHO : PIEGAS ?

Recentemente tive a oportunidade de lêr um ensaio do médium espírita Divaldo Franco, onde em um de seus tópicos ("Consciência") referentes à educação mediúnica, se refere ao espírito do Preto Velho como algo PIEGAS, remanescente também do pieguismo oriundo da cultura africanista:

"... Na cultura brasileira, remanescente do africanismo, há uma postura muito pieguista, que é a do preto velho. E muitas pessoas acham que é sintoma de boa mediunidade ser intrumento de preto velho. Quando lhe explicamos que não há pretos velhos, nem brancos velhos, que todos são Espíritos, ficam muito magoadas, dizendo que nós, espíritas, não gostamos de pretos velhos. E lhes explicamos que não é o gostar ou não gostar. Se tivessem lido em O Livro dos Médiuns, O Laboratório do Mundo Espiritual, saberiam que se a entidade mantém determinadas características do mundo físico, é porque se trata de um ser atrasado. Imagine o Espírito que manquejava na Terra, porque teve uma perna amputada, ter de aparecer somente com a perna amputada. Ele pode aparecer conforme queira, para fazer-se identificar, não que seja o seu estado espiritual. Quando, ao retornar à Pátria da Verdade, com os conhecimentos das suas múltiplas reencarnações anteriores, pode apresentar-se conforme lhe aprouver.

Então, a questão do preto velho é um fenômeno de natureza animista africanista, de natureza piegas. Porque nós achamos que o fato de ter sido preto e velho, tem que ser Espírito bom, e não é. Pois houve muito preto velho escravo que era mau, tão cruel quanto o branco, insidioso e venal. E também houve e há muito branco velho que é venal, é indigno e corrompido. O fato de ter sido branco ou preto não quer dizer que seja um Espírito bom.

Cabe ao médium ter cuidado com esses atavismos, e quando esses Espíritos vierem falando errado, ou mantendo os cacoetes característicos das reencarnações passadas, aclarar-lhes quanto à desnecessidade disso. Porque se em verdade, o preto velho quer falar em nagô, que fale em nagô, mas que não fale um enrolado que não é coisa nenhuma. Ou, se a entidade foi alemã na Terra e não logre falar o idioma do médium, que fale alemão, mas que não fale um falso alemão para impressionar. O médium só poderá falar o idioma no qual ele já reencarnou em alguma experiência passada.
Desde que não há milagres nem sobrenatural, o médium é um instrumento. Sendo a mediunidade um fenômeno orgânico, o Espírito desencarnado vai utilizar o que encontre arquivado no psiquismo do médium, para que isto venha à baila. "

Retirado do Livro: Mediuns e Mediunidades pelo espírtio Vianna de Carvalho (medium Divaldo Franco) Parte II - Requisitos para educar a mediunidade

O que verificamos nesse texto um tanto controverso de Divaldo Pereira Franco, é uma visão um tanto prosélita descambando para visões um tanto européias e arcaicas como logravam na era de Allan Kardec. O médium acerta quando diz ser uma visão remanescente de uma cultura africanista, mas graças a Deus o Brasil é um país livre e que abraça uma série de culturas diversificadas, tendo em sua maioria os negros, contribuído essencialmente para a edificação dessa cultura. De certo, a espiritualidade em sua magnitude plena comandada pelo arquiteto Mor, despoja-se de qualquer roupagem racial ou social, mas isso não invalida de forma alguma a natureza das comunicações de espíritos que ainda necessitam, de forma proposital ou não, se apresentarem dessa maneira. Divaldo, pessoa bastante eloqüente e que se faz valer das "rosas" que saem de sua boca, aliado ao seu poder extremo de persuasão, lembra mais um daqueles senhores que ficaram ricos vendendo produtos da "Amway", e que agora pregam seus testemunhos. É vero que sua compreensão e seu conhecimento adquirido após ter devorado as obras de Kardec são suas armas, agora a contestação do legítimo através de combinações de palavras é o que temos de VIGIAR, como tanto ele assim o prega! De maneira não diferente, após ter ouvido e assistido a algumas palestras do médium, a minha impressão é de que o próprio Divaldo carece no conhecimento mais amplo da questão espiritual, sendo ele cercado e encerrado em um pieguismo particular - parafraseando o próprio - bastasse que desse um pouco mais atenção aos fatos históricos que marcaram o surgimento da Umbanda de maneira formal nas plagas brasileiras. De maneira contraditória porém, reage o médium que de tanto se vale de Allan kardec, que no post anterior, reconhece e reavalia seus próprios pensamentos espiritualistas, com base nas palavras de um preto-velho. Em nenhum momento, como tenta desviar Divaldo, dizemos que a priori um espirito dessa natureza é bom ou ruim, da mesma maneira que não pré-julgamos um espírito que dê sua comunicaçõa dentro de um centro kardecista com o bom um ruim.
Em meu entendimento, e pelo conhecimento acumulado através única e exclusivamente da prática mediúnica, vos digo que a vestimenta de "preto velho" é unicamente o morfismo com que o espírito por trás daquele, utiliza-se naquele instante para que possa alcançar a seu objetivo, dando a oportunidade de uma comunicação mais direta, e sem as POMPAS e LUXOS que vemos em alguns lugares que não centros espíritas que praticam a Umbanda preconizada pelo Chefe Caboclo das 7 Encruzilhadas. Atavismos à parte, é preciso que nós médiuns ou não, vigiemos o que nos circunda, e que possamos através de nossa bondade e caridade divina que nós é conferida, aceitarmos a todos os espíritos que vierem a nosso encontro para comunicação ou conforto, como os olhos do coração e da caridade a qual Deus nosso pai assim nos concede. Esse é apenas um alerta. Meu saravá fraterno. Mestre Azul

10 Comments:

At 7:19 AM, Blogger Alex de Oxóssi said...

Amado irmão Mestre Azul,


eu tomei a liberdade de levar vosso texto a uma comunidade do Orkut que faço parte, o mesmo está saindo um grande debate e com a intenção de sempre aprendermos eu deixo abaixo o nome da comunidade e o link do tópico que lá criei com vosso texto.

Comunidade Estudos Espiritismo e Umbanda

http://www.orkut.com.br/CommMsgs.aspx?cmm=18526776&tid=5225378167382570477&na=2&nst=12

 
At 11:49 AM, Anonymous Anônimo said...

Muito me magoa realmente esse tipo de comentário, mas como os Pretos Velhos dizem, paciencia filha, Mestre Jesus também disse " Pai perdoe eles não sabem o que fazem" ou falam né!!
Quem foi que falou pra esse tal aí que Preto velho é piégas?
Ridiculo isso, se ele fosse uma pessoa espiritualizada mesmo saberia que realmente eles não são assim curvados negros ou brancos, mas pela pureza humildade e paciencia, eles se manifestam desta maneira, para mostrar ao povo ignorante que não é necessario ser louro ereto e de olhos azuis pra se praticar a caridade. Ter um Preto Velho ao seu lado, ser instrumento dele para a prática da caridade é MARAVILHOSO, a sabedoria deles diante de pessoas julgadas inteligentes letradas, é fora do comum, gostaria eu ser sábia e piégas como eles...

 
At 6:42 PM, Anonymous Karen said...

Eu adorei o texto e concordo.
Ontem meu marido baixou o preto velho, todo curvado, quase q se arrastando, achei ridiculo.
Eu respeito vcs, mas sou totalmente contra a essa religião. Não acho q as pessoas devem baixar nada para ajudar os outros. Na época de Jesus, as pessoas curavam os outros com fé e a vontade de Deus. Pra mim quem recebe espíritos são pessoas de espírito nada evoluído.
Desculpa mas eh minha opinião.

Anônimo...não vejo nenhum tipo de pureza, humildade e paciencia deles virem assim. Por ao contrário...fica assustador pro povo de fora. E ridiculo para alguns como eu.

 
At 11:37 AM, Blogger denise lopes said...

Achei que os livros de Robson eram bastante esclarecedores, aí vejo uma irmã neste blog malhando seus livros.Tenho o livro Consciência que ainda não li, porém ele é de Robson Pinheiro e não de Divaldo.Vou ler para ver se acho este parágrafo. E quanto a nossa irmã Karen, como é que ela pode respeitar alguém se ela não se respeita? Ridículo é o comentário feito por ela que demonstra sua ignorância.

 
At 12:04 PM, Anonymous Anônimo said...

sou uma pessoa leiga no assunto, mas eu sempre imaginei que a existencia do preto velho não importaria como ele se manifesta,mas sim como ele ajuda os comentarios dados são totalmente inexo, e concordo com a denise do comentario daquela pessoa se não entende guarda para si propria.

 
At 12:29 AM, Anonymous Fabio said...

Vi o comentario do médium Divaldo Franco dizendo que um espirito que atende por preto velho não pode ser levado a serio pois é atrasado.
pois bem conforme sabemos que geralmente que frequenta a Umbanda seu pessoas hulmildes (não estou me referindo a parte financeira) esses espirito que se apresentam como caboclos, pretos velhos, criança etc apenas se travestem dessas simples aparencias até mesmo o cachimbo do preto velho e o charuto (em muitas tendas ja não mais fumo nem bebida) simplesmente para fazerem os frequentadores se sentirem mais proximos e ficarem mais a vontade e em resposta ao senhor Dilvaldo Franco lembra - se
que a linha que esta sempre junto do Dr Bezerra de Menezes é a linha de preto velho

 
At 12:12 AM, Anonymous dani said...

MEU DEUS!!! OU OLORUM não importa o termo utilizado nem a linguagem falada nem o modo da encorporação o que importa realmente é a mensagem que esta sendo transmitida é a caridade que está sendo praticada.
Que tipo pessoa pode se dizer espirita, umbandista ... se possui preconceitos encravados em seu coração. Tanto é que pessoas que pensam assim não seguem a máxima que Fora da caridade não há salvação, que Deus ilumine essas pessoas para que possam enxergar a essência de todos os espiritos que prestam a caridade.
Pois espiritos zombeteiros podem se aproveitar disso falando bonito com jeito garboso e levar essas pessoas para o abismo, vamos ser concientes e acreditar que como Jesus nunca se desfez de nenhum espirito nem mesmo daqueles que se entitularam Legião QUEM SOMOS NÓS PARA DUVIDAR DA SIMPLICIDADE DE UM ESPRITO QUE TEM COMO MISSAO A CARIDADE?
deixo essa pergunta e toda minha compaixão por essas pessoas que pensam como ele que Deus os ilumine e clareie seus pensamentos
Axé!!!!

 
At 3:15 PM, Anonymous Leandro d'Ogum said...

Meus irmãos, não devemos criticar aquilo que não conhecemos. Não podemos negar que Divaldo Franco tenha profundos conhecimentos, apenas ele está estudando a doutrina Espírita (Kardecista).

Acredito que todos nós, independentemente da religião que seguimos, temos o direito de dar nossas opiniões e devemos ter a humildade de escutar as opiniões das outras pessoas, absorver o que nos for útil e descartar o restante.

Pelo conhecimento que tenho da doutrina espírita (Kardecista), os espíritos que se apresentam “com os mesmos defeitos físicos de sua última encarnação" são espíritos atrasados. Essa doutrina trabalha diretamente com os “espíritos de luz” e espíritos de desenarnados. Daí essa posição em relação aos pretos velhos e todos os outros nossos mestres da Umbanda.

Eu acredito que nossos mestres (Pretos Velhos, Caboclos, Erês e todas as falanges) são espíritos evoluídos sim, apenas utilizam certa roupagem fluídica como uma forma de trabalho. Sabemos que os pretos velhos nos passam muito de sua humildade e paciência, nossos caboclos nos dão muita força e nossos erês trazem alegria e paz a qualquer gira. Isso não significa quem eram escravos, índios ou desencarnaram ainda crianças. Não significa que não têm o conhecimento e a evolução necessária para fazer a caridade segundo a lei de Deus. Pelo contrário. O fato de um espírito evoluído vir em terra para nos ajudar, nos guiar, demonstra muito de sua humildade e sabedoria.

Vale lembrar que os nossos mestres não trabalham apenas na Umbanda. Por serem espíritos evoluídos e em constante evolução, trabalham também em casas espíritas (Kardecistas) e em tantas outras. Nossos mestres não têm necessariamente a mesma roupagem o tempo todo. Eles são energia, podem assumir a forma que quiserem e, por isso, não podemos julgar os espíritos que trabalham numa casa espírita, tão pouco nossos mestres da Umbanda.

O que todos nós temos a obrigação de saber é que devemos muito respeito a todos aqueles mestres e guias que se propõem a nos ajudar. Devemos ter muito carinho a cada um deles, independentemente da forma que ele se apresente para trabalhar.

Temos sempre que ler, estudar, compartilhar conhecimentos com todos nossos irmãos que como eu, tem muito ainda a aprender.

Que pai Oxalá abençoe a todos!

 
At 2:56 AM, Anonymous Anônimo said...

Nasci em uma família de espíritas kardecistas e o que presenciei a minha vida toda nos centros chamados de mesa branca, foram a soberba dos médiuns, que brigam entre si, para ver quem tem a entidade mais ilumida que a outra. Além de brincarem com a desobsessão, quase levando os irmãos que lá vão atrás de cura. Algumas pessoas acreditam que aplicar passes fluidicos são suficientes, tais como alinhamento de chackras.
E se você dizer, por acaso, que um EXU com outra roupagem está encabeçando os trabalhos na mesa, ah meu amigo, você quase é linchado.

 
At 2:58 AM, Anonymous Anônimo said...

O PRIMEIRO COMENTÁRIO FICOU COM ALGUNS ERROS DE DIGITAÇÃO..

Nasci em uma família de espíritas kardecistas e o que presenciei a minha vida toda nos centros chamados de mesa branca, foram a soberba dos médiuns, que brigam entre si, para ver quem tem a entidade mais iluminada que a outra. Além de brincarem com a desobsessão, quase levando os irmãos que lá vão atrás de cura à loucura. Algumas pessoas acreditam que aplicar passes fluidicos são suficientes, tais como alinhamento de chackras.
E se você dizer, por acaso, que um EXU com outra roupagem está encabeçando os trabalhos na mesa, ah meu amigo, você quase é linchado.

 

Postar um comentário

<< Home